VIDA ETERNA

Mateus 19,16-22 – VIDA ETERNA

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus.

19 16 Um jovem aproximou-se de Jesus e lhe perguntou: “Mestre, que devo fazer de bom para ter a vida eterna?” Disse-lhe Jesus:

17 “Por que me perguntas a respeito do que se deve fazer de bom? Só Deus é bom. Se queres entrar na vida, observa os mandamentos”.

18 “Quais?”, perguntou ele. Jesus respondeu: “Não matarás, não cometerás adultério, não furtarás, não dirás falso testemunho,

19 honra teu pai e tua mãe, amarás teu próximo como a ti mesmo”.

20 Disse-lhe o jovem: “Tenho observado tudo isto desde a minha infância. Que me falta ainda?”

21 Respondeu Jesus: “Se queres ser perfeito, vai, vende teus bens, dá-os aos pobres e terás um tesouro no céu. Depois, vem e segue-me!”

22 Ouvindo estas palavras, o jovem foi embora muito triste, porque possuía muitos bens.

Deixemo-nos guiar pelas Leis do Senhor

MEDITAÇÃO

Os mandamentos da Lei do Senhor são para nós um verdadeiro degrau, uma oportunidade de abrirmos o nosso coração para o Reino dos Céus. “Se queres entrar na vida, observa os mandamentos. Se queres ser perfeito, vai, vende tudo o que tens, dá o dinheiro aos pobres e terás um tesouro no céu” (Mateus 19, 17-27).

Um jovem muito rico se aproxima de Jesus e pergunta: “Bom Mestre, o que devo fazer para possuir a vida eterna?”. Em primeiro lugar, para termos direito à vida eterna é necessário observar os mandamentos, as Leis de Deus. Não podemos pensar em outras coisas, sem primeiro observar as leis. Pensamos que é uma coisa pequena, mas é a grande obrigação e aplicação que devemos fazer em nossa vida!

Não devemos negligenciar os mandamentos da Lei de Deus; precisamos observá-los, colocá-los à nossa frente, revisar a nossa vida a partir dos mandamentos divinos.

Quando uma pessoa vai se confessar e se lembra de uma ou outra coisa, é muito bom, mas os mandamentos da Lei divina são os espelhos nos quais devemos nos espelhar e olhar a nossa vida, aqueles dez [mandamentos] que aprendemos desde crianças. O primeiro é amar a Deus sobre todas as coisas, e o último não cobiçar nada que não é nosso.

Cada um dos mandamentos é para nós um verdadeiro degrau, uma obrigação, uma oportunidade de abrirmos o nosso coração para o Reino dos Céus.

Não negligencie os mandamentos, não permita que em sua casa os mandamentos do Senhor sejam deixados de lado. Eu sei que a sociedade e o mundo em que vivemos já deixaram os mandamentos da Lei de Deus de lado há muito tempo. Entretanto, não é a sociedade que guia a nossos passos, somos nós quem nos deixamos guiar pelas Leis do Senhor e seguimos os Seus passos.

Por isso, meus irmãos, apliquemo-nos com seriedade e com o coração; revisemos a nossa vida. Os mandamentos são uma riqueza, não uma proibição: “Não faça isso! Não faça aquilo!”. Pelo contrário, é uma regra e uma postura de vida, é o modo de sermos de Deus!

O fato de irmos ou não à igreja não nos torna mais de Deus, entretanto, viver em nós os preceitos da Lei Divina é o que nos diferencia dos outros, não para sermos melhores ou os mais importantes, mas para mostrarmos com a vida que o Reino de Deus está entre nós.

Pode ser que você sinta dentro de si, como muitos jovens sentem o apelo para viver uma vida evangélica de forma mais perfeita e plena, igual seremos no Reino dos Céus. É o chamado a uma radicalidade evangélica. Esse chamado, essa entrega se dá muito na vida daqueles que deixam tudo para seguir o Senhor, é um caminho excelente.

O jovem do Evangelho de hoje deu o primeiro passo para o Reino dos Céus, por isso ele vivia bem os mandamentos, mas um passo mais radical ele não pôde dar.

Muitas vezes, a nossa vida precisa de certa radicalidade em alguns aspectos e, é sempre necessário dar um passo a mais. Não tenha medo de dar passos para ser mais de Deus, só não seja aquela pessoa insensata, que faz as coisas sem pensar, que não calcula os passos a serem dados e faz as coisas de qualquer jeito.

Tudo o que fizermos na prudência, com a graça de Deus, é Ele mesmo quem abençoará os nossos passos!

Deus abençoe você!